Created with Sketch.
Edifícios - Cultura

Teatro Helena Sá e Costa

SOBRE

O Teatro Helena Sá e Costa (THSC), inaugurado a 19 de Maio de 2000, foi construído num pátio central de um edifício já existente, a Escola Normal construída em 1883, sendo o primeiro edifício ibérico destinado à formação de docentes do ensino primário. A reabilitação global deste edifício foi igualmente realizada, sendo esta concluída em 1999 e é nele que funciona a atual Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Instituto Politécnico do Porto (ESMAE).

O projeto e obra de reabilitação do teatro fizeram parte do programa do Porto 2001 – Capital Europeia da Cultura e foram realizados aproveitando-se a fachada e parte da estrutura do edifício antigo existente. Foi realizada uma profunda reabilitação, projeto do arquiteto Filipe Oliveira Dias. O projeto, essencialmente em estrutura metálica, assume diversas configurações geométricas, com grande variedade de soluções estruturais. A estrutura do teatro localizada no antigo pátio central do complexo da escola, é constituída pela zona do palco, plateia e balcão.

O THSC possui características a salientar, tais como:

  • Tipologia laboratorial. A inserção do auditório no antigo pátio retangular do edifício, com janelas envolventes em toda a sua periferia, permite a realização de aulas em tipologia laboratorial, ou seja, uma aula é dada sob observação externa, constituindo essa uma outra aula. O auditório tem capacidade trezentos lugares e está preparado para teatro, ballet e orquestra (tem um fosso para 70 figuras).
  • Cobertura transparente. O teatro tem cobertura transparente, em vidro especial, mas que permite o ensino com luz do dia e mantendo a característica do antigo pátio “aberto”. Possui um sistema motorizado de obscurecimento da cobertura até atingir o blackout. Os vidros da cobertura possuem características muito exigentes, com caixa de ar interna, isolando térmica e acusticamente, e elevada resistência mecânica. Fechando as cortinas, numa área de 14 x 17 metros, consegue-se em três minutos um blackout total.
  • Identidade. A identidade e autenticidade do edifício de 1883 foi mantida pela singular forma de intervenção que, sendo de uma enorme complexidade, resultou numa reabilitação aparentemente simples, onde quem conhecia o edifício considerar “terem sido apenas pintadas as paredes”.
  • Acústica. A otimização das condições acústicas, nomeadamente o controlo da reverberação e da inteligibilidade, é conseguida através da geometria e volume variável da sala, por rotação assistida por computador dos painéis refletores que integram o teto.

O THSC é um espaço apropriado, com muita qualidade, para o teatro e para a música e tem como missão divulgar e fomentar a arte enquanto ferramenta do processo de conhecimento e do crescimento integral do indivíduo nas vertentes da dança, música, teatro e artes da imagem, potenciando a revelação de novas tendências e suportando movimentos de projetos artísticos embrionários dentro e fora da Instituição.

Factos
Created with Sketch. Ano: 
1996-1999
Created with Sketch. Cliente: 
Arq. Oliveira Dias
Created with Sketch. Serviços: 
LOCALIZAÇÃO
Porto, Portugal
Scroll Up